HISTÓRICO DA ESTÂNCIA MARANATA

 

        Desde a sua chegada em Santo Antonio de Leverger, Mato Grosso em 1970, o missionário Robert Doolittle, (ou “Pastor Roberto” como é carinhosamente conhecido)

sentiu a necessidade de ter um retiro durante o período do Carnaval. Este retiro cumpria dois propósitos: 1) aproveitar o feriado prolongado para fortalecer os irmãos espiritualmente através da pregação da Palavra e da comunhão; 2) retirar os salvos do meio da imoralidade do período. Por vários anos retiros foram realizados nas mais precárias condições na Vereda, Pecuária, e no Coxipó do Ouro. Cada ano ficava mais difícil achar um lugar adequado e em 1977 o retiro foi cancelado por falta de um lugar para se realizar.

       

        Ardia no coração do Pastor Roberto o desejo de ter um local permanente para acampar e ele levou perante Deus este propósito em oração. Pela graça de Deus e com a

ajuda de irmãos norte-americanos o local atual foi adquirido no mesmo ano de 1977. São 117 ha. de terreno cerrado sito na BR 364/163, km 441, a apenas 7 km do Trevo do Lagarto em Várzea Grande, MT e provido nos fundos de pelo menos 1 km de beira com o Rio Pari.

       

        O primeiro retiro na Estância Maranata foi realizado em fevereiro de 1978. Com facões, foices e machados limparam um lugar no mato na beiro do Rio Pari, e duas

barracas de esteios cobertos com lona foram erguidas para os dormitórios masculinos e femininos. Todos os 80 acampantes dormiram em redes. Tinha até uma ciência ao deitar para balancear o esteio do meio e não trazer a barraca ao chão! As aulas foram realizadas na sombra das árvores. A comida foi feita em tacurus (pedras) no chão, (o café da manhã foi sempre mingau de fubá!). Os banheiros eram o mato. Banhos e lavagem de louças eram no Rio Pari como também a água para beber. A luz era um lampião a gás, lanternas, e a do luar. Mas o que faltou em comodidade foi mais do que suprido em espiritualidade! Deus realmente confirmou a sua presença naquele retiro e 3 almas foram salvas, 12 pessoas dedicaram a vida ao Senhor e 2 homens foram

batizados!
       

        Nos próximos dois anos melhorias foram feitas. A cozinha passou a ser de palha

com fogão a lenha. Banheiros foram “fabricados” cavando valetas e rodeando os com plástico preto. Um saco de cal servia para tentar diminuir as moscas e o cheiro. Em 1982 um poço foi cavado e o acampamento mudado para a várzea. Não era apenas a água melhor ali, mas também tinha menos mosquitos do que na beira do rio. Nos próximos anos Pastor Roberto investiu sangue, suor e lágrimas (e consideráveis finanças) erguendo pouco a pouco uma cozinha, galpão principal e dormitórios de alvenaria.

A Estância Maranata hoje possui uma infra-estrutura rústica, mas ultra confortável. Agora goza energia elétrica e poço artesiano. Sua ampla cozinha é provida de

equipamentos modernos e dois fogões industriais. Seus dois dormitórios são telados e seguros, acomodando 180 acampantes em triliches com colchões semi-ortopedicos cobertos com napa e higienizados a cada retiro. Um grande salão para refeitório, Um templo para se reunir e escutar pregações da palavra de Deus, e belos banheiros azulejados nos dormitórios aumentam o conforto. Quatro quiosques, cantina, sala de jogos, campo de futebol, quadra de vôlei, tirolesa, e uma represa oferecem diversão nas

horas livres das tardes.
       

        A Estância Maranata é mantida pelas ofertas de irmãos e igrejas sustentadoras, pelas

inscrições dos acampantes, e pelo árduo esforço e investimento do Pastor Peter Doolittle que reside ali e atua como diretor.

       

        A Estância Maranata realiza 8 a 10 retiros anuais e não somente o de famílias no Carnaval, mas o propósito continua o mesmo de 40 anos atrás! Edificar os salvos através da pregação da Palavra e promover comunhão entre os irmãos! Inúmeras

pessoas foram tocadas por Deus neste local. Almas foram salvas e pessoas chamadas à consagração e ao ministério!

 

Tudo conforme o seu lema: “Para Glória e Louvor de Deus”!